sábado, maio 20, 2006

Creative Pearl Jam

Tá, o Pear Jam lançou seu último clipe licensiado sob uma Creative Commons (Attribution-Non-Commercial-NoDerivs), isso significa que vc pode baixar de graça, passar pros amigos e redistribuir no seu site entre outras coisas. Método de promoção super eficiente e com o bônus de ficar bem na fita, esperamos que outros sigam o exemplo e disponibilizem nao apenas videos mas tb as próprias faixas e usando outros sabores de CC.

A propósito, vi a noticia por este post no Google Blog, e fuçando no pessoal que linkou, um me chamou atenção, dizendo que o /music está fechado para web crawlers, o que alimenta os rumores da Google estar com algo na manga p/ este segmento...

2 comentários:

Henrique Costa Pereira disse...

Eu até concordo que as empresas que produzem música devem mudar a maneira de negociação do seu "produto", produzir CD já é quase contraproducente mas se todas as bandas começaram a fazer tudo de graça, eles vão viver de que? De shows?

Fabricio disse...

Olá Henrique,

Ninguém aqui está pregando o fim da venda de música, por favor, nao interprete errado. Achei bacana a iniciativa do Pearl Jam de liberar o video para a internet e elogiei pq sei que como divulgação funciona muito bem, é uma forma de impulsionar vendas, nao o contrario.

Quando falo de outros artistas seguirem o exemplo nao estou querendo CD grátis, estou falando de enxergar o público como aliado e nao um inimigo/criminoso/sangue-suga(vide Metallica, Marisa Monte e tuti-quanti).

Abrir uma faixa de um álbum com 15, ou mesmo vender downloads sem DRM para um artista que busca atingir muita gente pode em muitos casos ser uma boa, eu como fã sempre que gosto de determinada banda procuro passar pra frente, seja queimando cds p/ amigo seja, linkando em blogs... saber que o dono da obra nao vê isso com maus olhos para mim ja basta.

E sobre o fato de comprar, mesmo para aquelas que disponibilizam albums completos com capa e o escambau de graça, se eu gosto eu pago. E por mais estranho que possa parecer, há uma boa porção de gente que pensa igual.

Da p/ viver de show? Não é este o tipo de pergunta que temos que fazer (mesmo a resposta sendo sim muitas vezes). O lance é: Da para ser pago diretamente por quem gosta do seu trabalho, ou ao menos minimizar os atravessadores? Quais os principais objetivos de um artista? Flexibilizando as restrições você facilita ou dificulta o alcance destes objetivos?